Páginas

domingo, 11 de março de 2012

"Te Amo Bosta"

vê se dá pra entender...


Nasci e cresci dentro de Pedro Osório, odiava viver lá; e se me convidarem pra voltar não volto exceto por alguma proposta muito tentadora de emprego, mas mesmo não querendo viver lá, queria ver aquela diminuta cidade crescer e prosperar cada vez mais...Espero que os governantes não continuem a embolsar o dinheiro público e que vejamos grandes avanços não só na área de urbanismo e cultura, mas nas áreas de saúde, oportunidades de emprego,uma melhor EDUCAÇÃO: não só educação básica, mas superior com o auxílio da prefeitura a cooperativa dos estudantes, pois é um absurdo a hegemonia e centralização do transporte para estudar em Pelotas, ACORDEM JOVENS DE P.OSÓRIO, aqui em Arroio Grande os alunos pagam míseros R$4.00 reais pra ir estudar em Pelotas e vocês que vivem praticamente colados em Pel. pagam um absurdo de passagens!Política é uma arma, um poder do povo e para o povo que tem se perdido ao longo dos tempos, pois não sabemos nos impor, não sabemos vigiar, não sabemos cobrar e estar atento as mudanças...Por isso jovens, votem consciente, estudem sobre governos passados, avaliem, escolham e façam valer suas escolhas...Cuidem do Rio Piratini, ele é um marco entre essas duas cidades e embora a aparência serena e quase inofensiva que demonstra no verão, esconde uma face obscura de fúria, decorrente de décadas de desrespeito com suas margens e até mesmo seu curso natural que foi brutalmente mudado( mas pra isso vocês terão de conhecer um pouco de história) daí originam-se suas constantes cheias, além claro, de outros fatores externos; é lógico!
Pedro Osório já abrigou importantes políticos em suas infâncias, como o filho da saudosa prof. Arabela mãe de Bernardo de souza e por algum tempo a pequena menina Manuela, que disse em entrevista que seguiu a carreira política graças a um marcante comentário do nosso conterrâneo prof. Waldon Matias em uma de suas aulas no colégio das irmãs, onde ele dizia qualquer coisa do tipo que todos nós através do estudos e/ou da política( não lembro bem) poderíamos mudar o mundo e, ela então, tornou-se mais tarde figura importante na política do Rio Grande do Sul- viu só a importância que tem a palavra de um professor pra ser tão pouco valorizados: muda vidas!


Então, gente boa e meus conterrâneos lutem por essa cidade pra que nunca mais, repito: -"Nunca mais, se precise reeditar aquela frase do tal famoso adesivo da enchente de 1992..." Te levanta Pedro Osório, não vê que te amo bosta"....No fundo no fundo esse é o sentimento que todos nós nutrimos por essa terrinha!

1 comentários:

Professor Vagner Moraes Farias disse...

Gostei do teu artigo Jucilene. Bem crítico!
Vagner Farias

Postar um comentário